Aprovação Automática nas escolas

Spread the love


Proposta que acaba com aprovação automática pode ser votada em comissão

O projeto que acaba com a aprovação automática de alunos nos ensinos fundamental e médio está para ser votado pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte.

De acordo com a última atualização do Senado Federal a matéria constante da Pauta da 40ª Reunião da Comissão de Educação, Cultura e Esporte, agendada para o dia 30/10/2018.

O PLC 127/2017 já possui relatório favorável do senador José Medeiros, que concorda com o fim da aprovação de estudantes que não possuam notas suficientes.

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei 9.394/1996) implantou no Brasil a possibilidade de um aluno do ensino fundamental ou médio passar de ano sem ter atingido as notas mínimas para aprovação. A reprovação só pode ocorrer ao fim de um ciclo, que engloba mais de um ano letivo ou série. Na avaliação do senador José Medeiros, esse sistema está causando uma decadência na qualidade da formação dos estudantes brasileiros.


Deixe eu colocar um ponto para reflexão aqui. Dizer que a educação no país não têm qualidade é de uma simplicidade descomunal. E o pior é acreditar que reprovando os alunos a qualidade melhoraria. Olhando de um ponto de vista diferente da justificativa dos que apoiam este PLC, colocar a culpa na aprovação automática do aluno não lhes parecem uma cortina de fumaça para mascarar a falta de investimentos que realmente possa melhorar a qualidade de ensino brasileiro? O mascaramento das desigualdades sociais em nosso país, que refletem nas questões de aproveitamento escolar, entre outros aspectos que poderíamos abordar sem ter que colocar a culpa no aluno, no indivíduo?

O PLC 117/2017 foi elaborado inicialmente pelo deputado Alexandre Leite (DEM-SP) em 2014. Foi aprovado pela Câmara dos Deputados em 2017 e chegou ao Senado em outubro daquele ano, onde passou a tramitar em conjunto com o PLS 336/2017, do senador Wilder Moraes (PP-GO), que trata do mesmo tema.

Você acha que se a aprovação automática deixar de existir a qualidade da educação realmente vai melhorar ou apenas vai ampliar as desigualdades já absurdamente injustas em nossa sociedade? Os comentários do post estão abertos para sua opinião.
*Com informações da Agência Senado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *